sábado, 31 de dezembro de 2011

FELIZ 2012!!!

~Às Portas do ANO NOVO~

Mais um Dia de Natal
Passou ...
Renascido O Menino
Tudo ...normal...
Carinhos
Presentinhos
Doces e farturas...
Mais um Natal
Ficou...
O sonho do Amor
Promessas futuras...

À mesa a Família
Reunida...
Comeu-se o bacalhau
Bem à portuguesa...
Leite creme
Arroz doce e rabanadas
Os pequeninos
Sempre em vigília...
No seu jeitinho larau
Desembrulharam
Prendinhas desejadas...

Passou...
Mais um Natal!!!

Às portas do NOVO ANO
Há preparativos...
Vestir de novo - diz o povo
Há sonhos festivos...
Promessas e desejos
Encaixam-se
Nos festejos de réveillon
Vivas ao Ano Bebé...
Entre risos e graças
Haverá champanhe e passas...

Passará mais um ano...
O tempo se renovará...
Ao cair da meia-noite
Abrir-se-á o pano
E de novo...
Cada um a cada qual
Em desejos se dirá...
FELIZ ANO NOVO
Até ao próximo Natal!!!
de: aileda/adeliavaz

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

*FELIZ*NATAL"

Natal : Frases de natal


E...

...porque é NATAL
abracemos a nossa vida
com tempos d'esperança
agradecendo a graça de estar
mais um dia mais uma ano
aqui... ali... em qualquer lugar
a podermos comemorar
em festa, festinha ou festança...
unidos em alegria sentida
num mundo renovado
transbordante d'esperança !


( "O Natal dos Pequeninos" de aileda )



de: aileda/adeliavaz

domingo, 11 de dezembro de 2011

Minha Gratidão... * Isabel Branco , Minha Poetisa "Azulinha"

 
Minha Querida Isabel Branco,
Minha "Poetisa Azulinha"

OBRIGADA!!!

nesta palavrinha
tão comum
minha gratidão
pelo momento...
O meu tempo...
no Tempo teu ...
tal "força" na intenção
palavrinhas minhas
pela tua mão...
"Magia do deserto..."
aconteceu...

e...
curtir a saudade
entrar nas vielas da esperança...
alimentar-me da lembrança
reavivar a nossa AMIZADE...

em "PALAVRAS NOSSAS"
Tu... e Eu!!!

 
de:aileda/adeliavaz
 

"PALAVRAS NOSSAS" Colectânea de Poesia (Uma Crítica)

Palavras Nossas - volume I



Trinta autores, um projecto comum e muita, muita poesia são os elementos que definem esta antologia. Registos e temas muito diversos, em estilos que variam de uma simplicidade quase popular a opções estruturais mais complexas, fazem com que este livro tenha muito para descobrir.
E a diversidade é, de facto, um grande trunfo. Com temas que oscilam do mais pessoal a um certo tom de crítica social, poemas mais livres ou mais cingidos a normas de rima e métrica e, claro, visões muito diferentes do mundo e da vida, é apenas natural que diferentes leitores encontrem diferentes preferências. Há, portanto, um pouco de tudo para todos os gostos, do romântico ao sombrio, do introspectivo ao tomar de uma posição ante o estado do mundo.
Tratando-se de uma obra que representa, essencialmente, o trabalho de autores desconhecidos, e principalmente por se tratar de um género com relativamente pouca visibilidade, é sempre interessante descobrir um projecto como este. Independentemente dos gostos e critérios de cada leitor, há sempre alguns poemas que ficam na memória, já que cada autor tem uma forma muito própria de construir poesia. É também uma boa forma de dar a conhecer o trabalho dos vários autores, sendo de destacar (mais uma vez) a diversidade que permite cativar diferentes leitores.
Trata-se, portanto, de uma leitura agradável, onde, como é natural, há trabalhos que se destacam mais que outros, quer pelas opções a nível de forma, quer por um conteúdo mais atractivo. Mas é também no contraste entre as diferentes formas de escrita que se define o que resulta como um livro cativante e interessante. Gostei.

causinhas minhas... por AKi...

(imagem da NET)

Tenho Fé...


há tempo sem tempo...
sobrevoado por abutres
horripilantes figuras de mau gosto
roendo-se do padecimento
deglutindo-se no desgosto
doutros pares... os mais ilustres

Tenho fé...
que nas montanhas do adverso
onde o mundo gira do avesso
florescerá a manta seca de verdura
abrasará a floresta dos sonhos
reduzindo a cinzas o tempo das urdiduras

Tenho fé....
na solidariedade
na equidade partilhada
Tenho fé...
na cumplicidades
p'la divisão acertada
Tenho fé...
na falência das vaidades
na ruptura dos maus hábitos
Tenho fé...
numa renascença desejada
dum mundo d'humanidades

Tenho fé...
haverá tempo com tempo...


de:aileda/adeliavaz

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

"Há sempre um Tempo... no tempo meu..."

Num Dia muito especial para mim...

*Festa da Poesia*
30 Novos Poetas Portugueses



O meu Video 

Sessão de Lançamento de
"PALAVRAS NOSSAS"
Colectânea de Novos Poetas Portugueses
03 Dez. 2011
FNAC C C Colombo
(Lisboa)



"A poesia é a emoção expressa em ritmo através do pensamento, como a música é essa mesma expressão, mas directa, sem o intermédio da ideia." 

(Fonte - Ideias Estéticas - Da Literatura Autor - Pessoa , Fernando) 



segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

"PALAVRAS NOSSAS" Colectânea de Poesia





Sessão de Lançamento de PALAVRAS NOSSAS
3Dez. FNAC CC Colombo (Lisboa)


Concretizado o "sonho"...







"Meus Poetas" !!!
Gostei...




Gostei de PALAVRAS NOSSAS
Gostei delas... de tão ditas..."bem ditas" (!!!)
Gostei da envolvência...
Gostei de nós... os novos poetas
Gostei de tamanha cumplicidade...
Gostei daquele abracinho gostoso
Gostei do Bjão ternurento...


Gostei...
Gostei mesmo... de verdade (!!!)


O nosso encontro... o tal momento
PALAVRAS NOSSAS em comunhão...
O ambiente caloroso
A presença dos presentes
O "estar" com os ausentes
O Tempo grande... meu/nosso tempo...
O encantamento... a emoção
A atenção da audiência...
A Poesia como consequência (!!!)


Gostei...
Meus Poetas!!!


de:aileda/adeliavaz

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

"Nada se cria... tudo se transforma..."













(imagem da NET)


 Passou a Banda por AKI...


Um dia alguém dizia:
"abram as portas...
abram as janelas...
a Banda vai a passar...

Entre palmas e vivas
passava a banda...
sem cantigas
afinadinha no toque...

renovando-se em árias
clarinetes e afins...
entoava tais fanfarras
estacionando-se nos jardins

E... hoje...

o jardim já não é "Celeste"
já não tem banda a tocar
não há toque de clarinete
a banda não vai a passar.

Toca-se lá por outras bandas
noutro grupo " o social"
há comunidades inteiras
em toques, no emocional.

Não fora calarem clarinetes,
nestes tempos agora vividos,
a banda estaria a passar
ecoando aos cinco continentes
naqueles tons "sustenidos"
no bom gosto de "saudar".


"Nada se cria... tudo se transforma..."
em trocadilho... há "baralhação"...
  hoje não há banda... há tocadores
AKi... sempre passam...com devoção...


A Banda voltará a passar... (???)




de:aileda/adeliavaz



sábado, 19 de novembro de 2011

(imagem da NET)
 
Olha a Esperança por AKi...

Espera...aguarda...
não desesperes!!!

Entra no comboio do optimismo
em cada carruagem da vida
deixa a tua mensagem
Luta pelo que queres
não te apeies nessa paragem...

Não tenhas medo
contraria a má mudança
Abraça o tempo com fé
caminha pelo teu pé
carrega fardos d'esperança...

E... nos carris da Vida
a locomotiva segue em frente
deixando bem para trás
o desgosto, a miséria, a revolta
que hoje... e agora... sentes

Com a esperança segues viagem
no comboio mais promissor
que com a Fé e o optimismo
te levará à tal paragem
da Vida... em PAZ e AMOR!!!

Por AKI... há "esperança!!!
 
de:aileda/adeliavaz 
 
A mais fiel de todas as companheiras da alma é a esperança. 
 (Pe. António Vieira)


 

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

...um sonho realizado


  video

Quinta-feira
Novembro 17, 2011

aconcheguei nas minhas mãos
o meu sonho...
ler-me em papel/LIVRO

"PALAVRAS NOSSAS"
Colectânea de Novos Poetas Portugueses
com coordenação de Miguel Almeida
uma publicação de
ESFERA DO CAOS, Editores

nas livrarias de Portugal



Palavras Nossas prima pela novidade e diversidade. Novos temas, novas abordagens, estilos diferenciados, eis o que esta Colectânea de Novos Poetas Portugueses tem para oferecer. Trata-se de uma autêntica "lufada de ar fresco" no panorama da poesia em Portugal. | Sonhos revelados sob a forma de poemas. Sonhos concretizados através de uma primeira publicação. Sonhos revelados e concretizados…

Os autores: Adélia Vaz • Alexandrina Coelho • Álvaro José Ferreira Gomes • Ana Maria Domingues • Ângelo Fitas • António Borrego • Armindo Loureiro • Bode Ranhoso do Marão (aliás Carlos Coelho) • Bruno Miguel Inácio • Catarina Teixeira • Céu Cruz • Cristina Correia • Gabriel Rito • Guiomar Casas Novas • Isabel Vilaverde • João Carlos Silva • José António da Piedade • José Gabriel Duarte • Libânia Madureira • Maria Helena Almeida Lopes • Maria João Nunes • Marta Guerreiro • Nanda Rocha • Noélia de Santa Rosa • Pedro Martins • Ramiro Morais • Ricardo Bernardo Valez • São Reis • Victor Cohen • Xico Mendes


quarta-feira, 16 de novembro de 2011




Deserto ... Welvitchias (Tombwa-Namibe-Angola)

"Reviver o passado no presente vivo..."

tamanhas novas

trazem saudade

de sítios-lugares...

antanhas provas

lidas-vividas a pares

amarram amizade...


absorvo a miragem



"caliente" de cor...

linda foi a viagem

desse meu amiGo mor...


remiro... releio...

revejo o tempo

corro o momento

saúdo o que veio...


com ternura vera

em passo certo...

abraço nossa terra

sempre...


"Entre o mar e o deserto..."
 



de:aileda/adeliavaz

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

terça-feira, 1 de novembro de 2011

"Dia das Bruxas"... fantasia...

Ontem... foi 31 Outubro...

 
(imagem da NET)

 Dia das Bruxas???
Pura fantasia...

Entram bruxas desfilando...
Bruxolinas em vassourinhas
Bruxas más e desdentadas
voam em bichos horrorosos...
Há cruzes por todo o lado...
Aranhas teias tecendo...
Um morcego todo alado
em voo baixo...rasante..
Coaxam sapos pegajosos
envenenados num caldeirão,
remexidos vão gemendo,
blasfemando ao colherão...
Descaradas aboborinhas
de bocarra cintilante
riem-se ali às gargalhadas...

Noite das Bruxas????
Pura magia...

A noite teima em espreitar...
A Lua mantém-se mistificada
há encantamento no seu luar...
Logo... logo... será madrugada...

Tamanha feitiçaria... sortilégios,
Aberrações que fazem o medo ...
Segredos guardados por magia
Nada mais que pura fantasia!!!

de:aileda/adeliavaz

"Noite das Bruxas"... fantasia...

Foi "Noite das Bruxas" 


(imagem da NET) 

Num mundo da Fantasia


A noite surge p'la calada
leva-me ao encantamento...
Entre nuvens cerradas
o céu teima em espreitar
Há feitiço no ar...
Algo mágico se acentua
no brilho desnudo da Lua...

Cá em baixo...tudo escurece...
apagado o sol, a tarde fenece
Entro no mundo da fantasia...
Abóboras que riem à descarada
vassourinhas irritantes
sobrevoando meus pensamentos
morcegos aberrantes
gemendo, acendem tormentos
numa medonha trapalhada ...

Ali... em caldeirões fervilham
sapos, aracnídeos, ratazanas
no veneno meio esverdeado
do colheirão mor redopiam
como num requiem valsado...

Há bruxas novas neste festim
enfeitando-se de negras plumas
cintilam nos fatos de cetim...
Horripilantes, as mais velhas,
tirando da manga maus olhados,
espalham tamanhas faúlhas
nestes bosques mal fadados...

Corujas olhudas...em piados
dando asas a aberrações
em sortilégios denunciam-se...
Teias d'aranha são enfados
segredos, enredos, feitiços...
 a dar voz a premonições
São demais tais enguiços...


Passa a noite... nasce o dia...
Tudo se arma na fantasia
 embalando-se nesta magia...
Mais alta, uma lua mistificada...
Cresce... iluminando a madrugada...

..................

Passado o medo... Acordei...
mau sonho esfumou-se...
Era uma vez um castelo..
onde a princesa mais doce
vai (re)viver seu reino do belo!!!




de:aileda/adeliavaz





sábado, 29 de outubro de 2011

MAGIA... na canção

Momentos meus... POESIA (2)


 (imagem da NET)
“Magia”

magia…
na lua
brilhante de doce luar

magia…
nas estrelinhas
cintilantes no seu piscar

magia…
no coração
palpitante fonte d’amor

magia…
no sorriso
encantador dum terno velhinho

magia…
na alegria
contagiante da “louca” juventude

magia…
numa flor
inocente no seu desabrochar

magia…
no amor
fogo ardente de paixão

magia…
encanto… fascinação…
na atitude
na imagem… no carinho
de quantos se cruzam no meu caminho…




de:aileda/adeliavaz


Momentos meus... POESIA

 Se Gosto... Partilho... 
Estive na TERTÚLIA do ABRIGO POÉTICO 
  (clica AKi...)
Foi assim... 
(imagem da NET)
na Tertúlia do Grupo Abrigo Poético
Hoje 28.10.2011

25ª Edição da Tertúlia no Abrigo

Tema: Magia

Abertura: Adelia Vaz


*
Introdução

“Magia”- de religião a ciência, arte dos poderes invisíveis, das práticas ocultas, a surtir efeitos visíveis extraordinários e/ou sobrenaturais…

Mas não a quero nesse sentido…

«Magia da natureza, magia do amor, magia das palavras, magia da poesia…»

Esta, a que esta noite proponho p tema/discussão - “magia” - a exercer nos sentimentos sensações, a dar ao espírito/alma encanto, fascinação… prestígio também.

E que tal a “magia da simpatia”???

Meus Poetas!!! “Estrelinhas” (“Abriguitos”, como eu) entrem, sentem-se e deixem fluir o vosso teclar (aí num PC, qb.) …

A “magia” virtual numa Tertúlia sensorial… hoje AKi…

*
Poema


“Magia”

Eterna palavra dos enfeitiçados
Encanto dos enamorados

Magia…

no sonho , na paixão,
no amor, na solidão…

Está no ar, no perfume...
no tempo a desfilar
nas mágoas sentidas
nas verdades contidas…

Magia…

no sublime do “eu”,
no etéreo da alma…
nas palavras em poesia

Magia…

Existe (???)...
Será feitiço…
enguiço ou bruxaria???

Há Magia… no sentir meu…
Sempre que sinto por perto
Meu Mar e meu Deserto!!!

Adelia Vaz
 
de;aileda/adeliavaz

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Saudade...




































(imagem da NET)




hoje...
apetece-me dizer
a escrever a saudade

hoje...
apetece-me rever
imagens de verdade

hoje...
apetece-me dizer


OLÁ!!!

apetece-me relembrar
hoje...
mulheres de verdade
ora filhas, mães, avós

hoje...
meu OLÁ/ Saudade
do estar e não estar
d'algumas entre nós


Olá, Dona DIOLA...
Olá Dona PEQUENOA...

OlÁ, Dona GAIATA...
Olá, Dona GLICÍNIA...

Olá, Dona LAURENTINA...
Olá, Dona BONECA...

Olá Dona QUINHAS...
Olá, Dona LILITA...

Olá, Dona NENÉ...
Olá, Dona GLADYS...

Olá, Dona NIDE...
Olá, Dona GIDA...

Olá, Dona ANICA...
Olá, Dona ESTRELA...

Olá, Dona DAS DORES...
Olá, Dona QUITÉRIA...

Olá, Dona SANTOS...
Olá, Dona MIQUELINA...

Olá, Dona FERNANDINA...
Olá, Dona MÁXIMA...

Olá, Dona ZÉLINHA...
olá, Dona CELESTE...

Olá, Dona...
Olá, Dona...

Olá, Dona NAIR
a Matriarca de Kimbares

Olá, Dona BELMIRA
Mãe, agradeço a Deus
por ainda estares!!!

Olá, Dona...
Olá, Dona...
 
OLÁ!!!

 como ontem...
apeteceu-me dizer
hoje...

OLÁ!!!

*Meu "Olá", às MUlheres presentes...
Meu "Até Sempre"... às Donas que já partiram...
 


de:aileda/adeliavaz 

terça-feira, 25 de outubro de 2011

"PALAVRAS NOSSAS" Colectânea de Poesia

video

"PALAVRAS NOSSAS"
(LIVRO de Poesia)
palavras a dar sentido poético 
gostos, afectos, sentimentos e emoções 
NOVOS POETAS Portugueses
reunidos em Colectânea


PALAVRAS NOSSAS

Poesia inspirada
no tempo... no sonho
sopro de vida
brados de alma
a dizer ao vento
ao mar...
silêncios
afectos...
em versos avulso

No gosto das palavras
outros eus
pedaços de mim
ecos
vozes do longe...
desabafos
a ver com sentidos...

Liberdade...
Amor de liberdade
alienação...
utopias
a dedilhar emoções...
Amor em Poesia

Visitas de musa
fonte de coretos...
Escrever um LIVRO
"Poíesis"
poesia infinda...
Arco íris
em PALAVRAS NOSSAS!!!



aileda/adeliavaz


sábado, 22 de outubro de 2011

PARABÉNS filhota!!!



 Meus Amores















Como o tempo passa...

Era ontem..

Há tanto tempo...
o sonho e a felicidade
entravam na minha vida
tudo crescia em mim...

hoje, tanto tempo passado

em mim, há um jardim.. .

Há flores no meu coração

crescem ano a ano
deixando-me mais viva e colorida
meus amores fazem anos...
crescem as flores da minha vida...

Foi dia de aniversário

para Ti, minha Guidinha doce,
também o foi para mim,
querida filhinha minha...
celebro o dia que à vida te trouxe...

Ternura, mar de carinho

rio de amor imenso...
Tudo do mais e melhor
encontres no teu caminho...

Para ti, minha Menina,

ontem tão pequenina...
deixo o meu coração florido
de tantos anos de Vida
a fazer-me a jardineira-Mãe
zelosa, presente e muito querida..

Amo-te, minha filhinha!!!

Adoro-te Minha Guidinha...



De novo... PARABÉNS!!!

Continuo AKI...
sempre a teu lado...

Bjão gdddddd

da tua Mãezinha

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

causinhas minhas... por AKi...

(imagem da NET)


dancei...

dancei nas asas do vento
prantei-me à beira-mar
nas lágrimas do meu pranto
lavei-me de mágoas
limpei-me de fastios
calcorreei p'las fragas
profundas e cortantes
sangrando dos males
das farsas desnudadas
dos que não são amantes

dancei nas correntes
do caudal dos meus rios
banhando-me na fontes
dos montes do meu céu
recortando-me em longos fios
teci a manta dos sentimentos
cobrindo-me dos instantes
das memórias guardadas
atravessei minhas pontes
aclamando-me no meu EU

dancei...

 

de:aileda/adeliavaz

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Em tempo de "Crise"...



Canção de Bandido...

 

De estúpido e louco...
nunca há muito pouco
neste mundo de
paridades
rocambolesco de insanidades
tudo o que parece não é...
enche-se o papo de "granitos"
sacode-se os mais aflitos...
desembucha-se vaidades...
arreganhando a taxa
o preço não sobe... baixa
neste mundo de cão a incisão
descontrolada do bistúri
deixa a mágoa aqui... ali
sem dó nem compaixão...
e...
no estrupício... o estupor
mesmo com reconhecimento
na base do valor
o mais nobre sentimento
visto como insanidade
esbarra na tal questão
da pergunta/curiosidade...

... o bandido, meu irmão,*
dele tenho piedade!!!

* irmão (ser semelhante - humano)


 



de:aileda/adeliavaz

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Recordando... em memórias de memória...




uma Quianda por Aki...

quinda elevada na cabeça
vai percorrendo a calçada

no todo se harmonizando
ali mesmo... centrada na tela

de certos olhares s'esquivando
no tornear d' imagem bela

lá vai serena... na passada
descalça... anda sem pressa...


aileda/adeliavaz 

terça-feira, 11 de outubro de 2011

causinhas minhas... por AKi...

 Vinicius (imagem da NET)


Adolescência...
"Juventude doce!!!"

revejo a tua imagem
doce inocência...
entro nessa viagem
p'la adolescência

"Juventude doce!!!"

SONHOS a cor de rosas
PAIXÕES arredias
PROMESSAS a fervilhar
TERNURAS tão carinhosas
VAIDADES a encantar
ALEGRIAS em folias

"Juventude doce!!!"

repito-me nesta fluência
emergindo no mistério
dum tempo, reino-Império...
à minha adolescência,
esta viagem me trouxe

e...as palavras, fraseadas
na imagem, são saudades
de idas e vindas passadas...
Adolescência rica d'amizades

"Juventude doce!!!"



de:aileda/adeliavaz

domingo, 9 de outubro de 2011

memórias... de memória...

 (imagem da NET)

mar de estórias... 


ao longe ouvi contar
contos de espantar
lendas de pasmar
estórias d'encantar...

mas estas estórias
meus senhores...
são epopeias-glórias
qual "ilha-dos-amores"...

vagueando...
ao sabor do vento
me sinto planar
navegando...
no tempo entro
nas vagas do mar...

mar-alto até à maré
embalando...
na proa fico a olhar
e...sem perder a fé
sonhando...
navegante sou neste mar...

mar de estórias
de VIDAS...
maré de memórias
trazidas...
ao sentimento
revividas...
são epopeias-glórias... 


de:aileda/adeliavaz

Amigos...

muitos "serões", em trocas poéticas... recordando um tempo grande, onde  se abria a memória... em Memórias de memória...



"Bairro da FACADA"

não é por nada...
ma' gosto d' andá
no BAIRRO DA FACADA...

tem caçadas
corridas de jeep...
tem manadas
de gazelas...
pois então...
derradeira caçada

não é por nada...
ma' caçá nã' é bã0...

NEnÉ ReZadeira...
'té tinha sua raZão...
nã' era matumba
"berrava e bufava"
da perseguição
de gazelas tã' belas
recordada do sertão
'inda par'cendo sambá
qual gazela ferida
lá se ia a coxeá

não é por nada...
"berrava e bufava"
no lovô a 0rixá

"a cabra fugiu...
eu sabe reZá"
na macumba
a bicha belungava
(a gente se riU)
dois olhos a brilhá
NENÉ 'té sonhava
"UHé.. a cachaça"...
"berrava e bufava"
'té dava 'meaça...

não é por nada...
ma' gosto d'andá
no BAIRRO Da FACADA!!!(1)

(1) "Bairro da Facada" - Bairro Mª Glória Inácio, em Moçâmedes - Namibe - Angola
(in "Amigos". Para o meu Amigo NECO Mangericão)



de:aileda/adeliavaz



Moçamedes
(FOTO de Mário Brazão)


sábado, 8 de outubro de 2011

Há sempre um tempo...

(imagem da NET)



"manta-recado"

anos idos... passados
de tempo se vão
...
não os mata a saudade!!!
  na  memória hoje são
sonhos a dar recados


abrem-se albuns
de recordações
folheiam-se
memórias d'infãncia
há retrato
de felicidade
de tropelias
de tempo-criança...

lêem-se
panfletos de lições
desenham-se
floreados de carinhos
abrem-se
caixinhas de lembranças
pintam-se
dicas de esperanças
encaixam-se
puzzles d'emoções....

em clicar de teclado
fraseiam-se
...fios-mensagens
retratando-se
...são imagens
enlaçam-se
...retalho a retalho
acalorando-se
em sublime trabalho
são  "manta-recado"...



aileda/adeliavaz

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Sonho e realidade...

Colectânea de Novos Autores Portugueses
(click)

 (imagem da NET)
 

PALAVRAS NOSSAS
palavras minhas ...

são coisas minhas...
do meu gostar...
contar... dizer...
comunicar... rir... brincar...
em palavras sentidas
procuro rimas...a rimar
mais do que isso...
"a rumar" p'ra minha gente
que me é tão querida
assim... me (re)vivo
a deixar feliz quem sente...



Deixo as minhas graças...
as minhas paixões...
alegrias...confusões...
não importa como o faça
deixo o clicar do meu sentimento
assim me (re)vês...
sempre no passado-presente... 





de:aileda/adeliavaz







quinta-feira, 6 de outubro de 2011

causinhas minhas... por AKi...

(imagem da NET)
Renovando...

Deixei-me de coisas...
não arrumei a trouxa
nem fechei o saco
 
nem tão pouco me desfiz
daquelas "miudezas"
que não o são de facto...

deixei-me de coisas
coisas vãs e à toa
aquelas que sem jeito
nem preceito
me empecilham o espaço
que me fazem menos boa
naquilo que sempre faço...

deixei-me de coisas...
das mais terrenas
mais fingidas no que sou
coisas que digo pequenas
sem pernas para andar...
neste mundo de mal-estar
a que o "mau" nos levou...

Renovando...
Deixei-me dessas "coisas"...
 
de:aileda/adeliavaz

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Da Monarquia à Republica

(imagem da NET)
 
Era uma vez... um dia 5 de Outubro, em Portugal...
Estávamos no ano de 1910... Ouviram-se as oito badaladas do sino duma tal Igreja...
Eram 8 horas da manhã, em Lisboa, quando o republicano José Relvas proclama a República, ali... nos Paços do Concelho (Câmara Municipal Lisboa).
Abaixo o Rei!!! Viva a Républica!!!!

D. Manuel II, último rei que foi do reino de Portugal, lá partiu para Inglaterra com o que restava da família real... Exilados, lá viveram...
Por coincidência de nome, foi também um Manuel o primeiro presidente da Republica eleito (Manuel de Arriaga).

Portugal passou a ter a sua nova Bandeira e o seu Hino (os mesmos que temos ainda hoje); o nome da moeda foi mudado de "réis" para "escudo"... transformado no "€uro" actualíssimo...

E... dada a importância da data, lá estamos mais uma vez a usufruir de um dia sem trabalho... um dia feriado ... Dia das comemorações de "A implantação da República"!!!