quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

POESIA Temática: "Justiça"


*Justiça dos cegos

Nos pratos da balança
meio enferrujada
corroída pelo tempo
passado de longa vida...
num há uma fina areia
noutro a pepita dourada
pesam na mesma medida
o ponteiro acerta ao meio.
ao olhar de qualquer mortal
esta é uma verdade causal
a balança certa é regulada.


um ser invisual tacteando
espalha a areia no prato
a pepita dourada tocando
questiona se de facto
a balança estará certa
dum lado tanta fina areia
do outro uma só peça tateia.
e dizendo de sua justiça
que a balança não está certa
perturba a afirmação
duma situação correcta.


"Quem não vê não sente"
já lá dizia o velho ditado
"Ver para crer", por outro lado
são desígnios de sugestão.
Aos olhos abertos da justiça
sabendo que não é cega
a verdade vem à tona
após a investigação
há ignóbil que a nega...
pondo o preto no branco
incomode a gente ou não...
a balança pesa não mede.
assim a real conclusão:
faça-se justiça afinal
aos olhos da tal razão...


A justiça só será cega
se a balança estiver desregulada...
Areia pode atirar-se aos olhos
mas pepita agarra-se na mão...
tanto como um cego o faria
porque a balança não via...


de:aileda/adeliavaz





quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Causinhas minhas... em POESIA

*Perdidos e achados

Alguém perdeu
foi surrupiado de
algo foi arredado
do seu lugar
deixou de encontrar-se
não viu mais o pertence
?
então perdeu-se...
está perdido
deixa-se assim o recado
o anúncio à atenção
de quem ou alguém
que o tenha achado...


Na gaveta não está,
nem tão pouco no armário
na prateleira também não
atrás da porta...exagero
não seria esconderijo
para desvio dum ladrão


Se está tão perdido
poderá ser achado
ou talvez nunca encontrado
esperança não é só solução
nada como passar à acção
vasculhar por todo o lado


uma boa vassourada
sem uso d'aspirador
poderá servir de detective
mas procure por favor
em perdidos e achados
nos media tão apregoados...


O que estava perdido
já foi agora achado
o meu Eu autocontrolado
que nesta imprevista solidão
de mim se tinha desprendido
sem a devida autorização...


Perdidos e achados...
Num dia de confusão
deu slogan ao desvario
dum dia sem tal avio
na baralhada dum momento
quase tornado sofrimento...


"Essa é a missão da poesia:
Recuperar os pedaços perdidos de nós."

(Rubem Alves)



 de:aileda/adeliavaz






quarta-feira, 26 de novembro de 2014

POESIA Temática: "Beleza"

 "Beleza"

e...
não é que me pus a chorar...
hoje estou assim...
não é tristeza...
é o esticar de mim
é a beleza
é a ternura
no desfazer d'amargura
e...
pozinhos de prilim-pim-pim
na magia de ser...estar!

chorar.... a rir de mim
a rir... ao gostar de ser
de perceber beleza
na alma da gente
que chora
que ri
só porque sente
e...
ter de viver
a sentir...
que tudo é importante
tanto na beleza esplendor
como naquilo
que nos (des)agrada
sem (des)pudor
desinteressadamente
mesmo sem beleza
e...
a amar eternamente
num tamanho amor!



"Não ame pela beleza, pois um dia ela acaba..." (Madre Teresa)


de:aileda/adeliavaz



Poesia minha

*Encontros e desencontros

com a minha imagem
me deparo
alguma estranheza
me revela
na sensação de tristeza
me desencontro com ela


No meu olhar
me reencontro
numa toada de figura
me acho sem eu
será que me perdi
e nem eu mesma percebi?


Trago meu coração
no mesmo lugar
em batida certa
mas sinto ao me olhar
uma deslocação
de imagem incorrecta


São encontros e desencontros
dizem uns crêem outros
entre lágrimas há prantos
entre risos encantos
nem sei o que me deu
para não me rever no meu Eu...


Vou lavar a alma
com carinhos
encher-me de doçura
beber de favos de mel
quero enfeitar a formosura
e retomar meu papel...


Sou eu a encontrar-me
nos desencontros da alma
num sem fim de questões
a sentir-me bem mais calma
dou resposta à imagem
e neste encontro sigo viagem...



"A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida."
(Vinicius de Moraes)




de:aileda/adeliavaz


quinta-feira, 20 de novembro de 2014

POESIA Temática: "Solidão"


 (imagem da NET)



*Não é difícil perceber...

Quando estou
Estou online
Quando não estou
Online estou
Isto para dizer
Se de mim quer saber
Comentário pode deixar
Publicação pode animar
Um tempo de melancolia
Que me morde dia a dia
Nada na vida é perfeito
Mesmo com este meu jeito
Sou eu quem procura
Desatar esta tortura
Quando a dona solidão
Asfixia meu coração
Tenho um passado
Vivo um presente
Não esqueço meus deveres
Só não tenho mais poderes
Não posso viabilizar
Aquilo que penso estar
Fora do meu controlo
Sou assim neste meu rolo
Quero voltar à vida
Estar mais prevenida
Matar este tempo meu
De rotina inexplicável
Que o mau tempo
Neste agora me deu
Sem me perguntar nada
Pois estou sempre contactável
Em qualquer momento
Estou aí nessa jogada
Sou peça deste xadrez
Sou presa do meu tempo
Quero-me EU... desta vez!

[Poesia do meu EU... quando a solidão me visita...]

de:aileda/adeliavaz



quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Meu 1ºLIVRO - publicação individual




Nasceu!!!
Estou apaixonada,
encantada, extasiada,
ansiosa...
"estupidamente" FELIZ!!!
Aí está o mais recente amor meu...
Não é travessura
é sim, a minha doçura
"MEMÓRIAS de memória", nasceu!!!
A POESIA de um Tempo com tempo...
sabores, emoções, amores
no juntar dos caquinhos
da minha memória...
retalhos do meu sentimento
daquilo que vivi,
no que também aprendi
com gente de memória
que nunca mais esqueci!!!


aileda/adeliavaz







Poesia Temática: HUMILDADE

 
 (imagem da NET)

*Humildade é verdade

Passa apressada a gentileza
dobra a rua da vaidade,
ansiosa por gratidão
corre atrás da humildade...
Cruza-se o orgulho opositor
com a inteligência por medida
entreolham-se num despudor,
afastam-se no meio da multidão.
Atrás, meio envergonhada
carregando seu tesouro no coração,
segue a humildade modesta
na senda da dita obediência
numa tolerância desmesurada
nobre em sabedoria manifesta,
sem luxo ou sofisticação...

Na praça, a humildade é serenidade
caminha agora sem obrigação...
cumprimenta-a a gentileza
tornada magnitude de gratidão
conversam em sã sabedoria
animam-se na expressão
a tolerância é a humildade
é nobreza, é grandeza...
Aproxima-se o orgulho próprio,
entra na conversa, gentilmente
reconhece que a pobreza
não só dos humildes é qualidade
que ninguém é inferior a ninguém,
deviam andar a par constantemente
pois, só humildade faz homens de bem...

Reúnem-se pra um fausto jantar
o soberbo orgulho e a gratidão,
não esquecendo de convidar
a inteligência e a humildade.
Servem-se duma farta obrigação
em requisitos de conhecimento
da humildade como acto natural,
perante os que parecendo e não são
espontâneos no tesouro dos humildes...
Brindam à magnitude da capacidade,
dos próprios erros, o reconhecimento,
respeitando que ser pobre é ser digno
e a humildade é amiga da simplicidade.
Acabado o jantar a humildade sai de rompão...
E, então, chegam à triste conclusão:

"A humildade é uma coisa estranha.No momento em que achamos que a temos já a perdemos. " (anónimo)

de:aileda/adeliavaz

Causinhas minhas ... POESIA

*A Terceira idade e EU...

Ora vamos lá reflectir!
Juventude,
espírito aberto,
mente lesta e desperta
sonhadora
Vida activa
num rodopiante ser
qual roda viva...
Afinal o que quer isto dizer?


Diria alguém
mui rapidamente
jovem, elegante, sedutora
gentil, amada amante
sexualizante,
estonteante,
em tanto e tamanho prazer,
só poderá mesmo ser
jovem adulta, uma senhora!


Sem resposta rápida
encantadoramente
dado o meu desenvolvimento,
como nota de abertura,
questiono eu na minha idade
sensibilizada
na minha expectativa de vida,
nesta etapa da terceira idade,
serei eu jovem senhora?


À minha idade me encaixando
dou cobertura...
quando meus cabelos
já branquearam
minhas pernas já vão pesando
meu rosto se vai marcando
meu corpo se transformou
meu coração bate ainda ritmado
na minha idade sou o que sou... 


Sinto-me jovem
de corpo e de espírito
nesta minha juventude
desassombrada...
meus anos têm idade avançada
não me sentindo desabilitada
no raciocínio ou na memória
sem alguma diminuição
vivo serena na minha quietude...


Finalizando, digo eu
somei meus anos à idade
do dia em que a mãe à luz me deu
longínquo já é o tempo...
tudo parecia incerto
nos sentimentos
como nas alegrias exageradas,
ou nas tristezas mal tratadas,
onde os sonhos eram encantamentos...


Então e a terceira idade?
muito bem perguntais ...
pela primeira muito cresci
pela segunda mais aprendi
agora vivo a terceira
encantada...
valorizando a vida muito mais
vai avançando a minha idade
sem pedir licença nem nada...



de:aileda/adeliavaz



FOTO: Na minha "Terceira Idade"




quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Causinhas minhas... POESIA

*Já é noite...

Quando a noite cai
baixam-se as persianas do tempo...

ilumina a Lua o teu quarto
rasgando-se como brilhante
sobre teu corpo descansado
nesse teu leito estirado...
ofusca a noite a beleza
sob aquele lençol de cetim
onde bela cor se desmaia
do monograma bordado
em fina linha de seda carmim...


Quando a noite cai...
Aguça-se mais o sentimento
voluptuoso em tal deleite
aninha-se mui docemente
arfando ali no meu peito
numa paixão tão dormente
naquele instinto de viver
sinaliza tamanho amor
provando meu bem querer...


Quando a noite cai...


de:aileda/adeliavaz

*Já é noite...

Quando a noite cai
baixam-se as persianas do tempo...

ilumina a Lua o teu quarto
rasgando-se como brilhante
sobre teu corpo descansado
nesse teu leito estirado...
ofusca a noite a beleza
sob aquele lençol de cetim
onde bela cor se desmaia
do monograma bordado
em fina linha de seda carmim...

Quando a noite cai... 
Aguça-se mais o sentimento
voluptuoso em tal deleite
aninha-se mui docemente
arfando ali no meu peito
numa paixão tão dormente
naquele instinto de viver
sinaliza tamanho amor
provando meu bem querer...

Quando a noite cai...

de:aileda/adeliavaz
 (imagem da NET)

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

POESIA Temática: "Misticismo"


*Kazumbi...


Será que me livrei
dum tal sorriso aberto
duma ternura gostosa
não sei mesmo... não sei...
Sei que no tempo
essa visão não perdi
está assim, presa a mim...
coisa de Kazumbi?


Aparece e desaparece
como imagem enfeitiçada
vem e vai sem perdão
deixa-me na confusão...
e...duma bruma serrada
surgindo como miragem
sorrindo para mim
convida-me à viagem...


Viajo então no tempo
entre nuvens sobrevoo
no éden límpido pouso
há um trono pra mim
qual eterno repouso...
sinto o que já senti
e... tal imagem de novo
Será que é Kazumbi?


O feitiço me envolve
como em tempo de amor
duendes que me afagam
nos anos que me enrugam
meu feitiço eu não perdi
e... num paraíso se alarga
o fascínio que dá conta de mim...
como coisa de Kazumbi!


* Kazumbi - Em todas as línguas de Angola significa "espírito, fantasma", feitiço. 


de:aileda/adeliavaz


 (imagem da NET)


terça-feira, 28 de outubro de 2014

Causinhas minhas... POESIA

*Pensando... penso...

Penso no que vejo
naquilo que ouço
no que queria
ou quero e não posso
em qualquer coisa simples
ou mais complicada
Penso em esforço
na vida que tenho
no tempo que se esvai
na idade que já me pesa...
nos caminhos que percorri
naqueles que não caminhei
em medida do que fiz
daquilo que não quis
em tudo o que encontrei
quando com ar feliz
minhas lágrimas sequei...
Penso na grandeza de ser eu
mulher, mãe que foi menina
na vida que Deus me deu
diferente da que queria
quando ainda pequenina...
Mas penso... é importante
Pensar é reflexão da alma
quando se pensa sozinho...
Penso, porque existo
isso muito me acalma
Nada melhor que isto!!!



de:aileda/adeliavaz
Em que estás a pensar? - perguntas bem FaceB.
Se fosse mal educada dizia-te já: _"Na morte da bezerra", mas não...
Estou a pensar melhor...

*Pensando... penso......

Penso no que vejo
naquilo que ouço
no que queria
ou quero e não posso
em qualquer coisa simples
ou mais complicada
Penso em esforço
na vida que tenho
no tempo que se esvai
na idade que já me pesa...
nos caminhos que percorri
naqueles que não caminhei
em medida do que fiz
daquilo que não quis
em tudo o que encontrei
quando com ar feliz
minhas lágrimas sequei...
Penso na grandeza de ser eu
mulher, mãe que foi menina
na vida que Deus me deu
diferente da que queria
quando ainda pequenina...
Mas penso... é importante
Pensar é reflexão da alma
quando se pensa sozinho...
Penso, porque existo
isso muito me acalma
Nada melhor que isto!!!

de:aileda/adeliavaz


segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Dia do POETA

20OUTUBRO - Dia do Poeta
Hoje, numa Homenagem ao Poeta , deixo:

*Palavras... para que te quero?

Rasgo a página rasurada
amarroto o papel riscado
não desisto desta história
Palavras têm significado
são registo da memória...

Dizer ...e porque não?
Naquele sussurro misterioso
as palavras que te digo
carrego-as sempre comigo
mesmo na hora da desilusão...

Palavras escritas em cliques
neste tom-som animadas
do teclado para o monitor
assim abafadas na dor
de não te dizer que fiques...

Juntar palavras sonantes
num fraseado, interessantes
a dar conteúdo ao contexto
numa postura de amantes
são palavras e não pretexto...

Assim, quero as palavras
ditas, escritas ou não..
dão azo à viva poesia
manifestam minha euforia
descansam meu coração...

Quero as palavras...
São minha expressão!!!

[Num dia qualquer, as palavras são razão...]

de:aileda/adeliavaz
(Imagem da NET)






20OUTUBRO - Dia do Poeta
Hoje, numa Homenagem ao Poeta , deixo:

*Palavras... para que te quero?

Rasgo a página rasurada
amarroto o papel riscado
não desisto desta história
Palavras têm significado
são registo da memória...

Dizer ...e porque não?
Naquele sussurro misterioso
as palavras que te digo
carrego-as sempre comigo
mesmo na hora da desilusão...

Palavras escritas em cliques
neste tom-som animadas
do teclado para o monitor
assim abafadas na dor
de não te dizer que fiques...

Juntar palavras sonantes
num fraseado, interessantes
a dar conteúdo ao contexto
numa postura de amantes
são palavras e não pretexto...

Assim, quero as palavras
ditas, escritas ou não..
dão azo à viva poesia
manifestam minha euforia
descansam meu coração...

Quero as palavras...
São minha expressão!!!

[Num dia qualquer, as palavras são razão...]

de:aileda/adeliavaz


quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Há sempre um Tempo... no tempo meu

29Setembro2014

NÓS éramos três...

O Dia de Hoje!!!
Nostalgia
Desilusão
Raiva
Emoção
Ressentimentos


Hoje...
meus sentimentos..
.


NÓS éramos três...

O Dia de Hoje!!!
Nostalgia
Desilusão
Raiva
Emoção
Ressentimentos
Hoje...
meus sentimentos...
AV


Hoje, somos cinco... amados e bem queridos!!!

 
de:aileda/adeliavaz

Causinhas minhas... POESIA

*Pois então...

O que mais há para dizer?
Nas corridas do tempo
apeteceu-me sempre viver
viver a sonhar, a sorrir...
deixar entrar o sol na minha vida
percorrer caminhos longos
enveredar por projectos
abraçar ternos momentos
sentir-me amada e querida...


Com muito mais para dizer
sonho de menina-mulher
animo-me na esperança
balanceio-me nas nuvens
salto nos espaços lunares
redopio na roda da vida
como tal filha do etéreo
amando, amo o celestial
assim, sou eu, no que me quero...


Com tanto pra dizer
escolho os tempos certos
confesso o que me faz ser
a mulher dos tantos consertos
e... senhora do meu nariz
descubro-me nos meus versos
mesmo naquele diz que não diz
cobrindo-me de bem-querer
desfolho a flor dos meus afectos...


Pois então...
E porque não?



de:aileda/adeliavaz

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

*Eu AMO...

O quê?

Amo o Sol
Amo o Mar
Amo a Lua
Amo meu ser
Amo meu estar...

Porquê?

Amar é querer
Amar é sentir
Amar é viver
Amar é abrigar...
Amar é desmorrer

Para quê?

Acariciar o coração
Aceitar a desilusão
Acalentar a paixão
Acautelar a razão
Aclarar a ilusão

Eu AMO...
E então?

de:aileda/adeliavaz

*Eu AMO...

O quê?

Amo o Sol
Amo o Mar
Amo a Lua
Amo meu ser
Amo meu estar...


Porquê?

Amar é querer
Amar é sentir
Amar é viver
Amar é abrigar...
Amar é desmorrer


Para quê?

Acariciar o coração
Aceitar a desilusão
Acalentar a paixão
Acautelar a razão
Aclarar a ilusão


Eu AMO...
E então?



de:aileda/adeliavaz

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

POESIA Temática: "AMOR"


*AMOR

Fácil de dizer
enche a boca
sem salivar
soa a força
traz calor
quando se ouve
ao pronunciar....


AMOR

em duas sílabas
é doce a tónica
aguça a libido
no sentimento
saído do limbo
fonte melódica
transcendente...


AMOR

nas páginas da vida
tanto se inscreve
passo a passo
tempo a tempo
acentuado ou ao de leve
em dimensão desmedida
balança-se como o vento...


AMOR

afecto paterno
carinho fraterno
arte de sedução
mágica de paixão
celeste e fluido
penetra como seta
disparada de cupido...


AMOR

na paz das gentes
ilimitado deveria ser
nos bosques crescendo
do alto dos montes
correndo nas fontes
entrosando-se referendo
matar fome e dar de beber...


AMOR

silábico, adocicado
de escarlate revestido
figura clássica
endeusada no lendário
apetite, prazer, pecado
em múltiplo sentido
surge sem calendário...


AMOR

"... nasce de quase nada e morre de quase tudo." (Júlio Dantas)

de:aileda/adeliavaz


quinta-feira, 26 de junho de 2014

Causinhas minhas... Aki...

Só o Sol...



*Meu Amor...

Hoje, disse ao Sol:
fica
aquece meu coração
O sol ficou quentinho
riu
e, num esgar,
disse-me:
vou, sim, vou ficar
acendi o clarão
por Ti...
e, me abraçou
num abraço apertadinho
Fiquei a pensar:
com este calor
e esse tanto miminho
és Tu, meu amor!




de:aileda/adeliavaz



quarta-feira, 25 de junho de 2014

POESIA Temática: "Verão"


*Num Verão qualquer...

Rio-me... às tuas críticas..
_Aqueço-me na tua poesia...
_Refresco-me nas tuas dicas...


Parecendo mais um ventilador
condicionando o teu/meu clima
temporizas o meu/teu estar
nesse teu/meu Verão prometedor
caminhando nessa praia a par
pézinho molhado te/me anima
correndo na liberdade do areal
no meu/teu tempo, Verão sem dia
refrescantes momentos de amor
calientes sentimentos de alegria...


Num Verão qualquer...
verão, vai ser... especial!!!




de:aileda/adeliavaz

(imagem da NET)



sexta-feira, 13 de junho de 2014

POESIA Temática: "Emigrante"


*Sou emigrante...

Sou emigrante
emigrante no tempo meu

emigro a horas
nalguns dias
até ao tempo imigrante
tempo menos ou mais curto
sem tempo emigro eu
saio de cena
ao abrir da janela...
ao fechar a persiana
regresso confiante
quando o sol espreita
no sonho de imigrante
e sorrindo
se diz ser meu amante...
sem armas nem bagagens
percorro caminhos em viagens
reformulando o meu eu
emigro... sou emigrante
foi esta a vida
a mais certa estadia
que Deus me deu...
ser emigrante
de dentro para fora
a imigrar neste tempo meu...




de:aileda/adeliavaz


segunda-feira, 9 de junho de 2014

Causinhas minhas... Poetisando...



Poetisando... trocadilhando...

Poetisando... trocadilhando...

»Demais...

Sair sem andar
sem andar por aí
por aí sem nada
sem nada p'ra ver
p'ra ver sem olhar
sem olhar o teu rosto
teu rosto bem moldado
longo... bem barbeado
ou será ovalado
bem escanhoado..,
bem... já nem sei... .
olhar sem ver
sem ver a voar
a voar sem asas
nas asas do vento
do vento garroa
garroa sem dó
sem dó em mim
em mim sem ti
sair sem andar
sem andar por aí...
Demais...

de:aileda/adeliavaz


»Demais...

Sair sem andar
sem andar por aí
por aí sem nada
sem nada p'ra ver
p'ra ver sem olhar
sem olhar o teu rosto
teu rosto bem moldado
longo... bem barbeado
ou será ovalado
bem escanhoado..,
bem... já nem sei... .
olhar sem ver
sem ver a voar
a voar sem asas
nas asas do vento
do vento garroa
garroa sem dó
sem dó em mim
em mim sem ti
sair sem andar
sem andar por aí...
Demais...




de:aileda/adeliavaz



sexta-feira, 30 de maio de 2014

Coisinhas minhas... POESIA




 (imagem da NET)

*Sem tempo...

Apetecia-me qualquer coisinha...
Qualquer gosto, sabor, ter cor
Apetecia-me falar, dizer, delirar
quaisquer palavras, mesmo surdas
Apetecia-me, apetecia-me ... caminhar
isso... caminhar, ir por aí, sem parar...
gritar ao vento, ao sol, ao mar
abraçar o céu, agarrar a lua
vestir-me de luz, ser estrela
desfilar na passarela sem vacilar
Apetecia-me ... apetecia-me ...
sair por aí... sem tempo p'ra voltar...

de:aileda/adeliavaz

POESIA Temática: "Alma"



 (imagem NET)

*Alma Minha...

Enche-me a a alma o estar
não há alma perdida no meu ser
dói-me na alma o sofrer
das almas depravadas
almas perdidas no acaso...
enche-me a alma a inocência,
a sensibilidade, o bem querer
na profundidade dos sentimentos...
o segredo é a alma do negócio
residente no amor, no coração
reflecte acontecidos momentos
nos olhos que a janela da alma são...

Alma minha...

Alma aberta à amizade
à beleza, à formosura
sinto na minha alma saudade...
alma minha no meu rosto,
espelho da arte de ver
a alegria ou o desgosto...
Consola-me a alma, a doçura
a virtude da esperança
a calma, numa alma pura
na fé e na perseverança,
ao sentir e ao entender
sua inequívoca funcionalidade:

"A alma limpa o corpo; o amor limpa a alma"

de:aileda/adeliavaz


segunda-feira, 7 de abril de 2014

Causinhas minhas... POESIA

*Angústia

nas trevas sempre há
nas insensibilidades também
nos corações fechados
angústia quem não têm?

no desespero dum momento
angústia abala sem perdão
escurece o pensamento
inquieta a gente de solidão!

cura-se com a serenidade
com o ânimo que se passa
esvai-se numa dor ferida
quando amor-carinho se enlaça...

angustia mísera sensação
ausência de bem-querer
desolação consentida
quando se deixa de viver

sem angústia derramo
sinais de luz irradiante
enxugando este pranto
abraço tudo o que amo

angústia enfado terrível
desapego de felicidade
nada será mais temível
que angustiar por vaidade!

Sem angústia dou mote à Poesia 
alinho sentimentos de valia
amar, bem-querer, viver...
esperar um novo e belo dia!!!

de:aileda/adeliavaz
 (imagem da NET)


*Angústia

nas trevas sempre há
nas insensibilidades também
nos corações fechados
angústia quem não tem?


no desespero dum momento
angústia abala sem perdão
escurece o pensamento
inquieta a gente de solidão!


cura-se com a serenidade
com o ânimo que se passa
esvai-se duma dor ferida
quando amor-carinho se enlaça...


angustia mísera sensação
ausência de bem-querer
desolação consentida
quando se deixa de viver


sem angústia derramo
sinais de luz irradiante
enxugando este pranto
abraço tudo o que amo


angústia enfado terrível
desapego de felicidade
nada será mais temível
que angustiar por vaidade!


Sem angústia dou mote à Poesia
alinho sentimentos de valia
amar, bem-querer, viver...
esperar um novo e belo dia!!!




de:aileda/adeliavaz



sábado, 5 de abril de 2014

POESIA

*Hoje

Mais um Dia...
Mais um fim de semana!

Espreita o Sol atrevido
os corações aquecem
há rituais de vida
passarinhos que cirandam
ali na minha varanda...

A natureza abre o manto
no tempo mais apetecido
corre a água das invernias
límpida aos nossos olhos
sedentos de cor e alegrias...

Na subtileza dos anos
as repetições lineares
são infinitas como sonhos...
afagando outro pranto
dualizam-se nos pares...

Venham os dias
passem os anos...


[a amar a Vida]
de:aileda/adeliava
z


*Hoje

Mais um Dia...
Mais um fim de semana!

Espreita o Sol atrevido
os corações aquecem
há rituais de vida
passarinhos que cirandam
ali na minha varanda...

A natureza abre o manto
no tempo mais apetecido
corre a água das invernias
límpida aos nossos olhos
sedentos de cor e alegrias...

Na subtileza dos anos
as repetições lineares
são infinitas como sonhos...
afagando outro pranto
dualizam-se nos pares...

Venham os dias
passem os anos...

[a amar a Vida]
de:aileda/adeliavaz

 

quinta-feira, 27 de março de 2014

POESIA Temática: "O Teatro"


[Quarta-feira Temática: "O Teatro"]

*TEATRO

toc... toc...
punk... punk...

pancadinhas de Molière
aquele sentido toque 
numa abertura mágica
 a iniciar o que vai ver
a cena lírica ou trágica

a voz uma premissa
o gesto uma emoção
a presença do artista
realce na cenografia
mega representação

a vida em texto dito
o sonho e a saudade
o sofrimento e a alegria
a guerra e a liberdade
a proposição em fantasia

a encenação rigorosa
na beleza coreografada
amor, amados amantes
em simplicidade retratada
arte nobre de figurantes

clac... clac...clac...
plas...plas...plas...

vou ao teatro aplaudir
do imaginário ao real
vou refrescar a emoção
na encenação especial
vou sentir meu coração

no despertar sentimentos
dar largas à imaginação
no grande palco da vida
um mundo de momentos
Teatro - a obra instrutiva...

______
"O mundo inteiro é um palco
E todos os homens e mulheres não passam de meros atores
Eles entram e saem de cena
E cada um no seu tempo representa diversos papéis."
(William Shakespeare)

de:aileda/adeliavaz
 

*TEATRO

toc... toc... toc...
punk... punk... punk...


pancadinhas de Molière
aquele sentido toque
numa abertura mágica
a iniciar o que vai ver
a cena lírica ou trágica


a voz uma premissa
o gesto uma emoção
a presença do artista
realce na cenografia
mega representação


a vida em texto dito
o sonho e a saudade
o sofrimento e a alegria
a guerra e a liberdade
a proposição em fantasia


a encenação rigorosa
na beleza coreografada
amor, amados amantes
em simplicidade retratada
arte nobre de figurantes


clac... clac...clac...
plas...plas...plas...


vou ao teatro aplaudir
do imaginário ao real
vou refrescar a emoção
na encenação especial
vou sentir meu coração


no despertar sentimentos
dar largas à imaginação
no grande palco da vida
um mundo de momentos
Teatro - a obra instrutiva...


______ "O mundo inteiro é um palco
E todos os homens e mulheres não passam de meros atores
Eles entram e saem de cena
E cada um no seu tempo representa diversos papéis."

(William Shakespeare)




de:aileda/adeliavaz


quarta-feira, 19 de março de 2014

DIA do PAI

[Dia do PAI - Homenagem a todos os pais do mundo, independentemente, do bem-querer ou do mal-querer com que assumam a paternidade]

[Quarta-feira Temática: "PAI"]

*PAI

PAI
das palavras a primeira
grafia das três letrinhas:
o P que inicia a leitura
o A que enche o grafismo
o I  que sustenta gracinhas

PAI
a palavra pequenina
pronunciada com doçura
uma sonoridade inteira
na voz das criancinhas
estimulante dinamismo

PAI
a palavra dita sem tempo
no ditongo tem energia
socorro de muita gente
entoação de alegria
ternura sempre presente

PAI
a palavra sempre viva
numa sílaba assinalada
ganha força no amor
com carinho pronunciada
orgulho do seu progenitor

PAI
a palavra da verdade
a força de quem viveu
aquela figura masculina
presente dum passado
que perdura na saudade

PAI
uma imagem de nobreza
a alma duma vida filial
grande de tal carisma
dum filho a maior riqueza 
PAI, um homem especial!

[Ser PAI é ser alguém.]

de:aleda/adeliavaz

*PAI


PAI
das palavras a primeira
grafia das três letrinhas:
o P que inicia a leitura
o A que enche o grafismo
o I que sustenta gracinhas

PAI
a palavra pequenina
pronunciada com doçura
uma sonoridade inteira
na voz das criancinhas
estimulante dinamismo

PAI
a palavra dita sem tempo
no ditongo tem energia
socorro de muita gente
entoação de alegria
ternura sempre presente

PAI
a palavra sempre viva
numa sílaba assinalada
ganha força no amor
com carinho pronunciada
orgulho do seu progenitor

PAI
a palavra da verdade
a força de quem viveu
aquela figura masculina
presente dum passado
que perdura na saudade

PAI
uma imagem de nobreza
a alma duma vida filial
grande de tal carisma
dum filho a maior riqueza
PAI, um homem especial!

 
[Ser PAI é ser alguém.]



de:aleda/adeliavaz


terça-feira, 18 de março de 2014

Poesia Temática: "Os Lusíadas"


Foto: [in GRupo "Abrigo Poético (Poesia)" - Quarta-feira Temática: "Os Lusíadas"]

*Ó Plágio... plageado...

Lá vem a nau catrinheta
navegando em estilo...
traz velas arregaçadas,
um mastro balanceador,
nas barricas o estrilho...
p'lo convés ninfas estiradas,
tágides minhas de Camões
pronúncio de bonança
na dobra de boa esperança...

Por ali, na terra à vista,
feliz segue para a fonte,
Leonora tamanha verdura,
enlevada de tal encanto
cruza-se sem nada ver
além, ao longe no horizonte...
o Adãomastor, que gigante,
naufragou ali na planura
rogando ser seu amante...

Eis que nos verdes campos,
ali o fogo arde sem se ver...
é o amor daqueles amadores
de alma minha parte corações
da Dinamite da Barbarea escrava
como gentil senhora de Camões
nesse mudam-se os tempos
mudam-se algumas vontades
d'erros seus em ardentes amores
num desconcerto curtido à brava...

Lembranças de bem passado...
o fogo que branda verdura ardia,
mais prometia a força humana
naquele tal conto... o primeiro,
onde o mancebo Luce Vaze caía
nas armas dos ditos assinalados
de barões que eram resignados
passados além da Paparobana
por mares nunca dantes navegados...

E nessa tal de nau catrinheta
cantando lá seguia e prometia
chegar à sua praia lusitana
para tornar livre e soberana
a pura Leonora em atrevimento
numa gentil senhora sedutora...
quando de mágoas se comprimia
espalhando ali por toda a parte
tanto amor com engenho e arte...

_____________
Assim, se cantam amores
belas e boas recordações
dum tempo de estudante
quando, freneticamente,
se sentiam as emoções
num tempo de adolescente
in "Os Lusíadas" de Camões...

de:aileda/adeliavaz


*Ó Plágio... plageado...

Lá vem a nau catrinheta
navegando em estilo...
traz velas arregaçadas,
um mastro balanceador,
nas barricas o estrilho...
p'lo convés ninfas estiradas,
tágides minhas de Camões
pronúncio de bonança
na dobra de boa esperança...

Por ali, na terra à vista,
feliz segue para a fonte,
Leonora tamanha verdura,
enlevada de tal encanto
cruza-se sem nada ver
além, ao longe no horizonte...
o Adãomastor, que gigante,
naufragou ali na planura
rogando ser seu amante...

Eis que nos verdes campos,
ali o fogo arde sem se ver...
é o amor daqueles amadores
de alma minha parte corações
da Dinamite da Barbarea escrava
como gentil senhora de Camões
nesse mudam-se os tempos
mudam-se algumas vontades
d'erros seus em ardentes amores
num desconcerto curtido à brava...

Lembranças de bem passado...
o fogo que branda verdura ardia,
mais prometia a força humana
naquele tal conto... o primeiro,
onde o mancebo Luce Vaze caía
nas armas dos ditos assinalados
de barões que eram resignados
passados além da Paparobana
por mares nunca dantes navegados...

E nessa tal de nau catrinheta
cantando lá seguia e prometia
chegar à sua praia lusitana
para tornar livre e soberana
a pura Leonora em atrevimento
numa gentil senhora sedutora...
quando de mágoas se comprimia
espalhando ali por toda a parte
tanto amor com engenho e arte...

_____________
Assim, se cantam amores
belas e boas recordações
dum tempo de estudante
quando, freneticamente,
se sentiam as emoções
num tempo de adolescente
in "Os Lusíadas" de Camões...


de:aileda/adeliavaz

Causinhas minhas... Poesia


Foto: *Talvez...

 Talvez seja
sim, talvez
seja o dia...
o dia de estar
estar, pois
estar feliz...
feliz e mais
mais animada
talvez seja
seja isso...
o tempo de viver
sim, viver
uma primavera
na primavera
anunciada...
talvez eu diga
nesse meu ar
ar gaiato
estou animada...
talvez eu diga
sou eu
eu mesmo
mesmo abençoada
talvez...

de:aileda/adeliavaz


 (imagem da NET)


*Talvez...


Talvez seja
sim, talvez
seja o dia...
o dia de estar
estar, pois
estar feliz...
feliz e mais
mais animada
talvez seja
seja isso...
o tempo de viver
sim, viver
uma primavera
na primavera
anunciada...
talvez eu diga
nesse meu ar
ar gaiato
estou animada...
talvez eu diga
sou eu
eu mesmo
mesmo abençoada
talvez...

 


de:aileda/adeliavaz

[Dia da POESIA.14Março]


Foto: [Dia da POESIA.14Março]

*Poesiando... Poesia

Poesia
num agrupar de letras
derrama de sentimentos
num afagar palavras
braçada de afectos

Poesia
bordado a ponto de luz
tecido de seda sublime
no tear dum tempo
vestido de momentos

Poesia
nuances pinceladas
num gesto de lisura
retrato no quadro
dum sonho que perdura

Poesia
doce tido de mel
achocolatado de presença
bolo de nós guardado
em registo de pertença

Poesia
a alma de quem sente
a imagem de quem dá
palavras com sentido dentro
em eco mágico perdurará

Poesia
sempre ...
eternamente...

de:aileda/adeliavaz
(imagem da NET)

 
 
*Poesiando... Poesia

Poesia
num agrupar de letras
derrama de sentimentos
num afagar palavras
braçada de afectos

Poesia
bordado a ponto de luz
tecido de seda sublime
no tear dum tempo
vestido de momentos

Poesia
nuances pinceladas
num gesto de lisura
retrato no quadro
dum sonho que perdura

Poesia
doce tido de mel
achocolatado de presença
bolo de nós guardado
em registo de pertença

Poesia
a alma de quem sente
a imagem de quem dá
palavras com sentido dentro
em eco mágico perdurará

Poesia
sempre ...
eternamente...

de:aileda/adeliavaz
 
 
 

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Causinhas minhas por AKi... POESIA



Poesiando...
 

*Por mim, por ti!
 

Da próxima vez
vou dizer-te
não olhes
não me vejas
passa ao lado...

Da próxima vez
vou fingir
sem pecado
passar por ti
sem te ver...

Da próxima vez
serei invisível
não pretensiosa
mas irascível
por mim, por ti!




de:aileda/adeliavaz

Há sempre um tempo... no tempo meu...

 
 
(imagem da NET)
 
CELEBRANDO...
Dizem que 14 Fev. é Dia dos Namorados!! Bem. Modernices do avanço dos tempos, do progresso das tecnologias, do consumismo exagerado. Enfim, nem oito nem oitenta! (penso eu)
Antigamente, todos os dias eram dias para os namorados. Cada parzinho marcava o seu dia, uma data bem especial, o seu primeiro encontro amoroso, o tal dia da declaração de amor, o inicio do "namoro"!!! E, era lindo!!! Trocavam-se carinhos, promessas de amor e fidelidade, etc., etc. Havia trocas de presentes??? Sim. Qdo as "finanças" o permitiam, cada um dos enamorados fazia questão de oferecer um presente ao seu parceiro, a marcar essa data. Bonito, né??? Qdo não, ficavam-se pelas cumplicidades q , melhor q tudo, eram uma celebração, um compromisso da sua união amorosa.
Hoje, tudo parece diferente. Preparativos, são tantos e diversos: jantar, presente, e, mais não digo... 
Cada dia é sempre dia para reforçar o namoro!!!
Sendo assim, quando pretenderes oferecer FLORES à tua namorada, não te esqueças q , na escolha das flores, é preciso ter em consideração o estado emocional da vossa relação.
Algumas dicas, de acordo c o estado da tua relação amorosa:
*Conquista: oferece um bouquet de flores vermelhas, acompanhadas com chocolate e maçãs vermelhas.
*Declaração: bouquet de orquídeas, rosas ou lírios.
*Casados há anos: bouquet com flores hortênsias e orquídeas.
*Para pedir desculpas: bouquet flores brancas.
E estes mimos ainda podem ser acompanhados de outros artigos para presentear, depende do do valor que pretendes ou podes gastar.
E, vive este dia c a emoção q dás aos teus momentos mais solenes da tua existência. Ser namorado ou namorada é estar vivo e na vida activa, como ser humano.
Digo eu, namorar é tão bom!!!
O meu namorado continua a receber o meu presente, em cada dia: Amor!!!

-----------------------aileda...................

 

Poesia Temática: Tristeza...



(imagem da NET)


["Tristeza"]

*
e... desapareceram...

O mar ia alto
as vagas não eram ondas
a maré ia e vinha revolta
pressentia bruxedos...
nas investidas longas
presságios à solta

na praia solitária
a névoa encobria espectros
encurralava sonhos...
a lua crescia apagada
sentidos encobertos
sentimentos medonhos

e... desapareceram...

na praia a madrugada nascia
nos rostos a lua batia
incrédula à enlutada dor
a vaga amortecia
a tristeza acontecia
maculada de terror

no areal raiado de espuma
as lágrimas sentidas
da alma escorrridas
tornadas sal uma a uma
jaziam no areal em escuma
na tristeza das vidas perdidas

e... desapareceram...

sem a física presença
a tristeza ganhava à melancolia
a perda, a falta, a indiferença...
enquanto a manhã crescia
o mistério se envolvia
numa onda de descrença

as mágoas, a dor, eram retratos
fatídicos de chicana...
na maldade às avessas
relatos tardios de factos
denunciados nos sem pressas
desta vida quotidiana

e... apareceram...

juventude perdida
cadáveres no estupor
das ondas na praia ...
vagas sem medida
na tristeza o despudor
do que desrespeita a vida

na onda balançada
a tristeza não está só
nas memórias revivida
da dor alimentada
minando o sofrimento
revoga a pena no dó...

"Sobre as asas do tempo, a tristeza vai-se embora." (La Fontaine)


de:aileda/adeliavaz

Poesia Temática: AMOR...

*Amor
(Quanto se escreve sobre Amor!!!)

Amor
imortal sentimento
aparente fervor
calórico alimento
sensual calor ...

Amor
empática emoção
pujante ardor
mística paixão
eterna loucura...

Amor
desfasado sofrimento
pejorativa desilusão
elegível desencanto
dolorosa traição...

Amor
notável cor-de-rosa
enfático colorido
quadro repintado
tela agridoce
comestível gostosura...

Amor
pressentido sentido
teatro reinventado
maldito pranto
bendito riso...

Amor
prato delicioso
banquete sensual
brinde permitido
casamento dual...

Amor foi...
Amor é...
Amor será...



aileda/adeliavaz





 (imagem da NET) 


Poesia temática : "distância"

 (imagem da NET)

["Distância"]

*Memória

Ó memória minha!!!
Como não medes tu
a precisa distância
do presente meu
a esse passado teu...

Não perdoas a saudade
na mágoa minha
machucando a dor
destilas doces afectos
carícias dum amor...

Percorres espaços inteiros
relembrando com calor
um tempo de figurinhas
duma vida, espectros
idealizados sem pudor...

Sem medires o tempo
esse Eu trazes contigo
num sabor - fragrância
acordas meu sentimento
como um bom castigo...

Vens a mim sem piedade
nessa leveza de formas
bates à porta da saudade
num coração apaixonado
sem medires a importância...

Ó memória minha!
Neste presente te enformas
afável de tamanha lealdade
revolvendo meu passado
anulas a devida distância...



aileda/adeliavaz